segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Batman: Arkham City | Rocksteady fala dos vilões e futuro da série

A revista Official PlayStation Magazine Australia, premiou o jogo com uma pontuação de dez em dez.




Dax Ginn, diretor de marketing da Rocksteady, disse que a razão para Batam: Arkham City ter tantos vilões deve-se ao tamanho considerável do jogo.


Ginn argumentou que com um novo mundo aberto, faz sentido enriquecer esse mundo com os inimigos mais famosos de Batman.


"Um das desvantagens de um jogo com mundo aberto é que não tens a mesma intensidade claustrofóbica," comentou ele. "Por isso pensámos como poderíamos oferecer a mesma sensação dando ao jogador uma liberdade que nunca antes havia tido. Nesse ambiente, sabíamos que precisávamos de uma grande quantidade de vilões. Tomámos a decisão de que não podia ser apenas o Joker, precisávamos do Two-Face, Riddler, Penguin e até da Catwoman".


"Em Arkham Asylum, o seu contexto tenso e claustrofóbico precisava apenas de um personagem como o Joker para causar medo. No entanto neste novo jogo sabíamos que as pessoas queriam ver Batman a correr pelas ruas num mundo aberto, esta decisão levou à criação de mais personagens."


Outra das razões para incluírem a Catwoman como personagem jogável, foi para o facto de acharem que por vezes é divertido também ser o mau da fita.




"Nem sempre é divertido ser o braço forte da justiça"




"Nem sempre é divertido ser o braço forte da justiça, por isso queríamos explorar como seria um criminoso em Arkham City. A Catwoman tornou-se numa grande escolha para explorar esta sensação," disse Ginn. "Fomos buscar referências a outros jogos, e é óbvio que alguns jogadores gostam de quebrar as regras."




Futuro da série "Batman: Arkham"



Depois do enorme sucesso de Batman: Arkham Asylum e com Batman: Arkham City em estado gold e a caminho das lojas, a Rocksteady fala sobre o futuro da série e deixa-o em aberto.


Questionado pela CVG sobre quanto tempo pode o estúdio fazer durar o entusiasmo e sucesso em redor da série, Dax Ginn da Rocksteady respondeu que tal depende do entusiasmo do estúdio.


"É difícil dizer. Penso que enquanto existir gosto e a sensação que podemos contribuir para o universo Batman...É como nos sentimos. Existem coisas espantosas a acontecer com o Batman em todo o mundo atualmente e sentimos que estamos a dar o nosso pequeno contributo na forma do universo Arkham."


"Enquanto tivermos histórias para contar. Enquanto sentirmos que podemos fazer isso e fazer muito bem", disse Ginn.


"Não há outro personagem tão espantoso quanto Batman com incrível conjunto de inimigos, que tem uma estrutura de jogo tão espantosa. Tudo o que é preciso é dar a um tipo uma espingarda e muda completamente a natureza do combate."


"Portanto metes o Batman contra 30 rufias numa rua e das porrada neles e sentes-te um campeão mas assim que um deles tem uma espingarda tens que repensar o que fazer. Isso é mesmo raro num super-herói e realmente adoramos usar as facetas da sua personalidade para criar gameplay disso".


Ginn completou dizendo que, "Não sei o que se vai passar no futuro mas agora sinto que estamos numa boa posição com os jogos que estamos a fazer, as oportunidades que temos portanto não quero mesmo que isso mude".




"Batman: Arkham City não é apenas o melhor jogo com super heróis de sempre, é um dos melhores jogos de sempre ponto final."




PONTUAÇÃO MÁXIMA COMO MELHOR GAME "DE TODOS OS TEMPOS"


Foi publicada a primeira análise oficial de Batman: Arkham City, premiando o mais recente projeto da Rocksteady com a classificação máxima.


A revista Official PlayStation Magazine Australia, premiou o jogo com uma pontuação de dez em dez.


A publicação justificou a pontuação máximo dizendo que, "Batman: Arkham City não é apenas o melhor jogo com super heróis de sempre, é um dos melhores jogos de sempre ponto final."


Comparando o jogo com o seu antecessor, Arkham Asylum, a OPMA explicou que Arkham City brilha tanto que consegue ser ainda mais expansivo que o original. "É um jogo mais profundo, mais complexo, mais inventivo, mais maduro. Dá vida ao mundo do super herói melhor do que qualquer banda desenhada, filme ou programa de televisão".




Imagem divulgada de Batman: Arkham City



Na trama, o prefeito Quincy Sharp, antigo diretor do Asilo Arkham, murou bairros inteiros de Gotham, criando Arkham City, uma cidade que funciona como uma super-prisão. A única regra existente é que seus habitantes não podem sair de lá. Batman, claro, não gosta nada disso - e passa a patrulhar o lugar. A jogatina deve durar perto de 40 horas, contando não somente as missões principais do game, mas também as demandas secundárias.


Batman: Arkham City será lançado em 18 de outubro para PlayStation 3 e Xbox 360. A versão para PC saíra em novembro.


Fonte: EUROGAMER (1) / EUROGAMER (2) / EUROGAMER (3)


Para entrar em contato com a equipe do BATCAST, contribuir, sugerir e/ou reclamar, mande um e-mail para: bat-cast@hotmail.com


Siga nossa página no Facebook clicando na opção "curtir", no canto superior esquerdo do blog ou clique aqui.